Trabalho temporário fim de ano

Com a chegada do fim do ano, a previsão é que 159 mil vagas temporárias sejam abertas em todo o Brasil. Desses trabalhadores, cerca de 20 mil devem ser efetivados.

As oportunidades estão em vários setores, mas alguns se destacam mais. Um deles é o comércio, onde estão 70% das vagas. As portas estão abertas principalmente para vendedores, estoquistas, repositores, analistas de crédito, embaladores e Papai Noel.

A boa notícia é que em 2017 o salário para essas áreas teve um aumento de 12% em relação ao ano passado. Em média, o trabalhador vai receber R$ 975, fora a comissão. Os profissionais mais requisitados são os que têm entre 18 e 39 anos.

Só uma loja de brinquedos em Belo Horizonte vai precisar de 60 funcionários até dezembro. Quem foi contratado para o dia das crianças vai continuar até o Natal.  “Se ele trabalhar bem tem quase 100% de chance de ser contratado, porque a gente não costuma deixar escapar bom profissional”, afirma o comerciante Altair Rezende.

Conseguir uma vaga com Trabalho temporário fim de ano é uma boa oportunidade também para quem procura o primeiro emprego. Geralmente, a escolaridade exigida é o ensino médio incompleto e se o candidato não tem experiência, muitas empresas oferecem treinamento.

Para ter mais chances, a vendedora Rayane Ferreira de Almeida, de 18 anos, resolveu investir em um curso rápido de técnicas de venda. “Não tenho muita habilidade com o público, mas acho que a gente pode melhorar, aprender como tratar melhor o cliente, saber o que ele está procurando. Acho que ajuda em qualquer área”, opina.

O especialista em marketing e diretor do Senac, Erlei José de Araújo, concorda: “Mesmo que seja um curso de uma semana, duas semanas, já vai ter dar um diferencial na hora de ser selecionado para essas vagas”.

As indústrias concentram 30% das vagas no Trabalho temporário fim de ano. O salário está 6% maior que no ano passado, com uma média de R$ 1,2 mil, mais os benefícios. As oportunidades estão principalmente no administrativo, na operação de máquinas e na manutenção.

As fábricas de roupas, brinquedos, alimentos e bebidas são as que precisam de mais gente. O Rio Grande do Sul é um dos estados que mais vão contratar.

Há vagas também para o setor de turismo. Pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo mostra que nesse verão serão 33 mil vagas em todo o Brasil. A maioria delas está em bares, restaurantes, hotéis e agências de viagens.

 

 

RECEBA NOSSOS ARTIGOS EM PRIMEIRA MÃO

 

FAÇA UM ORÇAMENTO CONOSCO

12 + 10 =

 

OUTROS ARTIGOS

Fale conosco pelo Whatsapp